ENTREVISTA – MIRIAM NASCIMENTO BLOS

0
1319

MIRIAM NASCIMENTO BLOS, amazonense, natural de Manaus, possui 8 irmãos, vive numa relação estável, tem uma filha, a Karisse. É maestrina, porém considera-se uma artesã musical, já foi assessora da Fundação Nacional do índio – FUNAI. Começou na cena musical na própria família, onde formaram um coral, depois passaram a apresentar-se na igreja. Sua formação musical foi através das mãos do maestro Wilson Fonseca, que lhe repassou a experiência das músicas amazônicas e também, as clássicas. Em Roraima, em 1991, apresentou seu primeiro projeto de formação musical na pré-escola. Dai nasceu o embrião dos “Canarinhos da Amazônia” e já são 25 anos. Tempos depois foi morar e atuar em Santa Elena com o projeto musical, com filhos de brasileiros que moravam naquela localidade. Em 2015, recebeu o convite do amigo e ex-vereador do município, Paulo Camilo para transferir o projeto para a sede. Na atualidade, o projeto “Canarinhos da Fronteira” é formado por filhos de imigrantes venezuelanos.

TR – A melhor coisa que aprendi com meus pais… A lealdade.

TR – O que a senhora pode dizer que seja uma atitude tipicamente sua… A sinceridade.

TR – A quem a senhora deve uma desculpa ou perdão? À mim mesma .

TR – Quem merece um muito obrigado? Os meus pais .

TR – Inteligência é… A arte de compreender uns aos outros.

TR – Alegria é… As crianças cantando afinadamente.

TR – Mexa comigo, mas não mexa com… A minha filha Karisse.

TR – Em 5 anos quero estar… Em Pacaraima, com a Aldeia Canarinhos da Amazônia de vento em popa, ou seja, oferecendo cursos, oficinas, etc…

TR – Pacaraima é… O cesto de sonhos e o seio que acolhe.

TR – Música rima com… Coisas do coração.

TR – Fale sobre dos seus projetos realizados em Pacaraima?
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – Embora não tendo uma grande estrutura, abri as portas de minha casa para acolher as crianças venezuelanas, filhos (as) dos imigrantes. E nasceu o projeto “Canarinhos da Fronteira”.

TR – Quantas crianças fazem parte do coral?
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – Ao todo, cerca de 60 crianças.

TR –  Por quem é composto, entre meninos e meninas e suas nacionalidades?
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – São mais meninos do que meninas venezuelanas. No coral faz parte apenas uma criança brasileira.

TR – Quais os compromissos agendados para o coral:  
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – Já tem em stand by uma gravação de um CD para o fim do ano. Coisa simples, mas feito com muito amor. Também temos agendados apresentações natalinas, em Boa Vista e aqui em Pacaraima.

TR – Desenvolver um projeto desse porte requer recursos, a senhora recebe ajuda de algum órgão governamental ou de entidades privadas?
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – Infelizmente não. Apenas agora apresentamos um projeto para o Alto Comissariado da ONU para Refugiados – Acnur. Trabalhamos com recursos próprios.

TR – E quem quiser ajudar como deve proceder?
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – Estamos localizados na Casa da Música, na rua Vitória Régia, no bairro das Orquídeas, sede do município de Pacaraima. E também podem ligar para o telefone 99113 0796 para saber como proceder.

TR – A senhora poderia deixar uma mensagem pra quem, quer ser maestrina?
MIRIAM NASCIMENTO BLOS – “Tem que abdicar de muitas coisas, entre elas a vaidade de querer ultrapassar limites. Estudar música. Dormir com uma partitura na mão e acordar com uma nova composição.”