NOTÍCIAS DE RORAIMA – Terá início nesta segunda-feira, dia 5/11, a partir das 19 horas, no auditório do Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV-IFRR), a Semana de Graduação…

0
26

NOTÍCIAS DE RORAIMA

BOLETIM IFRR

Terá início nesta segunda-feira, dia 5/11, a partir das 19 horas, no auditório do Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV-IFRR), a Semana de Graduação.

O evento, que segue até o dia 8 com ampla programação, é uma realização do Departamento de Graduação (DEG) em conjunto com a Diretoria de Ensino (Diren).

De acordo com o diretor de Ensino do CBV, professor Ananias Noronha Filho, a semana visa proporcionar uma reflexão sobre o ensino superior no IFRR.

Programação – Além de palestras, a Semana de Graduação terá mesas-redondas, ciclo de debates, oficinas e se encerrará com a Gincana de Integração de Acadêmicos e Egressos. Alguns cursos organizaram atividades específicas.

——————————————————————————————————

OFICIAL

Com lançamento oficial marcado para o dia 9 de novembro, às 19 horas, no espaço Cenarium Recepções, no bairro Paraviana, a Chapa “União, Força e Prerrogativas”, é única concorrente para a nova Diretoria da OAB-RR – Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Roraima, com eleições marcadas para o dia 23 de novembro, das 9h às 17h.

No total, 74 profissionais da advocacia compõem a Chapa, composta da seguinte forma: cinco membros na Diretoria da Seccional, cinco membros na Diretoria da Caixa de Assistência e mais três suplentes, 25 conselheiros seccionais titulares, 30 conselheiros seccionais suplentes, e seis conselheiros federais (três titulares e três suplentes).

O criminalista Ednaldo Vidal preside a Chapa, que tem como candidata a vice-presidente a advogada Clarissa Vencato, atuante nas áreas de Direito Civil, Administrativo, Tributário e Consumidor. Para o cargo de secretária geral, concorre a advogada Ellen Eurídice; de secretário-geral adjunto, o advogado Cláudio Belmino; e o de tesoureira, pela advogada Dayara Dantas.

Na composição de cargos de conselheiros federais, os advogados Antônio Oneildo Ferreira, Emerson Delgado e Rodolpho Moraes concorrem como titulares. E como conselheiros federais suplentes, os advogados Dalva Machado, Bernardino Dias e Stélio Dener. Para a Caixa de Assistência concorrem, os advogados Ronald Rossi, presidente; Natália Leitão, vice-presidente; Luiz Távora, primeiro secretário; Cíntia Schulze, segunda secretária; e Iana Santos, ao cargo de tesoureira.

Ednaldo Vidal explica que, mesmo sendo única concorrente ao pleito, a Chapa União, Força e Prerrogativas reúne representantes de todos os segmentos da advocacia, advogados e advogadas mais experientes (muitos deles ex-dirigentes de Ordem), representantes da jovem advocacia, tanto homens quanto mulheres, porque foi construída com equidade, diálogo e em conjunto, considerando as distorções históricas que acarretaram a desigualdade no que se refere à ocupação de espaços de poder no sistema OAB, destacando o percentual de mulheres em cargos diretivos.

Pela primeira vez na história da OAB/RR, as diretorias da Seccional e da Caixa de Assistência serão compostas por 60% de mulheres, percentual acima do estabelecido pelo artigo 131 do Regulamento Geral, que prevê o mínimo de 30% para cada gênero. Desde a sua criação, em 1930, a Ordem dos Advogados do Brasil foi presidida no país por 581 presidentes homens e apenas nove mulheres.

——————————————————————————————————

BOLETIM ALERR

No sábado (3/11), a instituição do voto feminino no país completa 88 anos. Para a presidente da comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa de Roraima, Ângela Àguida Portella (PP), a conquista foi resultado de um longo processo de luta das brasileiras por mais participação na política, o que segundo ela, ainda é um desafio.

Em Roraima, as mulheres representam maior parte do eleitorado, assim como no restante do país. As eleições de 2018 contaram com a participação de 169.824 eleitoras no Estado, representando 51,2% do total segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ângela destaca que isso é um reflexo do interesse do público feminino em querer cada vez mais participar do processo eleitoral.

Segundo ela, além de votar, a mulher tem almejado cada vez mais ocupar cargos na área política. Para se ter uma ideia, neste ano dobrou o número de mulheres eleitas para a Assembleia Legislativa de Roraima, passando de três para seis parlamentares do sexo feminino. Apesar do aumento, as mulheres ainda representam um quarto das cadeiras da Casa Legislativa.

Para Ângela, a bancada feminina produzirá benefícios, sobretudo, às causas sociais.

CONQUISTAS – No dia 3 de novembro de 1930 as mulheres conquistaram, após muita luta, o direito de votar e, dois anos depois, de serem votadas. No entanto, apenas as mulheres que exerciam função pública remunerada podiam participar. Somente dois anos depois, por meio da segunda Constituição da República, esses direitos políticos conferidos às mulheres foram assentados em bases constitucionais. O direito do voto foi finalmente ampliado para todas as mulheres na Constituição de 1946.

A Lei nº 9.100/1995, que regeu as eleições de 2006, trouxe uma grande conquista feminina ao determinar que 20% no mínimo das vagas de cada partido ou coligação deveriam ser preenchidas por candidatas mulheres. A Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições) determinou que no pleito geral de 1998 o percentual mínimo de cada sexo fosse de 25%. Já para as eleições posteriores, a lei fixou em 30%, no mínimo, a candidatura de cada sexo.

Em 2009, a reforma eleitoral introduzida pela Lei n° 12.034 instituiu novas disposições na Lei dos Partidos Políticos (Lei n° 9.096/1995), privilegiando a promoção e difusão da participação feminina na política. Entre elas estão a determinação de que os recursos do Fundo Partidário devem ser aplicados na criação e manutenção de programas de promoção e difusão da participação política das mulheres conforme percentual que será fixado pelo órgão nacional de direção partidária, observado o mínimo de 5% do total.

A reforma eleitoral exige ainda que a propaganda partidária gratuita deverá promover e difundir a participação política feminina, dedicando às mulheres o tempo que será fixado pelo órgão nacional de direção partidária, observado o mínimo de 10%.

 *Com informações do Tribunal Superior Eleitoral

—————————————————————–

Em Iracema, a 93 quilômetros de Boa Vista, 80 crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos participam das aulas de coral no Núcleo da Assembleia Legislativa no município.

Com a proximidade das festas de final de ano, como Natal, confraternizações e Ano Novo, os ensaios estão cada vez mais intensos.

Raquel Martins da Silva, de 12 anos, é uma das alunas do coral, que faz parte do programa Abrindo Caminhos. Ela diz que o coração está acelerado, mas acredita que tudo sairá dentro da expectativa.

A modalidade, segundo Raquel, a ajudou no desenvolvimento da voz.

A coordenadora do Núcleo da Assembleia Legislativo, Mara Cadete, informou que o Coral do Abrindo Caminhos é um dos cursos mais procurados na instituição. O Núcleo funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 13h e das 13h30 às 18h, na rua Doutor Bernardo Saião, sem número, no Centro de Iracema.

—————————————————————–

 

Foto – Lucas Almeida

O Centro de Valorização da Vida (CVV), que disponibiliza apoio emocional para prevenção ao suicídio, atende em média 50 ligações por plantão, pelo número 188.

Esse atendimento é feito atualmente por 17 voluntários, 12 oriundos de uma seleção feita em setembro. Os novos colaboradores já estão em fase de testes nos atendimentos.

A coordenadora local do CVV, Elizabete Brito, explicou que os novos voluntários estão no plantão, mas sendo diretamente monitorados. Dentro de 90 dias haverá uma troca de experiências, para que eles falem sobre suas vivências dentro do plantão. Essa triagem final permitirá adequar cada voluntário de acordo com aptidões e habilidades de cada um, para saber se eles realmente têm perfil para serem plantonistas. “Eles podem optar em ficar no plantão ou serem apenas voluntários no serviço de apoio”, explicou.

O número 188 é um serviço gratuito que abrange todo o território nacional. Os plantonistas em Boa Vista podem atender ligações de todo o Brasil. “Nem sempre uma pessoa de Boa Vista que liga para o CVV será atendida por um plantonista de Boa Vista. Essa ligação poderá cair em qualquer outra unidade da Federação”, esclareceu, ao salientar que o atendimento é totalmente sigiloso.

O serviço prestado pelo CVV funciona todos os dias, das 7h às 23h. Cada voluntário tem um plantão por semana. “Ainda não temos no Estado o plantão corujão, que vai das 23h até às 7h, mas a meta é implantarmos. No ano que vem vamos fazer mais seleção de voluntários”, disse.

Elizabete salientou que o Centro atende todas as faixas etárias, mas que há um índice significativo de atendimentos a idosos e adolescentes. Há também quem procure o CVV apenas para relatar um momento de felicidade.

“É importante informar que não só procura o CVV aquelas pessoas que estão desesperadas, querendo cometer um suicídio. Tem pessoas que ligam para contar suas vivências, dizer que estão felizes porque um filho se formou, e que até fez um bolo. Elas querem compartilhar com alguém. São várias histórias”, afirmou.

CVV Em Roraima o Centro de Valorização da Vida funciona com a parceria da Assembleia Legislativa de Roraima por meio da Procuradoria Especial da Mulher, que cede o espaço para ponto de apoio, localizado na Avenida Capitão Júlio Bezerra, nº 193, próximo ao Hospital Coronel Mota. Os interessados podem buscar mais informações no site https://www.cvv.org.br