NOTÍCIAS INTERNACIONAIS – Mike Pompeo – Foto: age Skidmore/Reprodução da internet – Os Estados Unidos retiraram todo o pessoal diplomático que permaneceu em sua embaixada em Caracas, em meio ao agravamento da crise venezuelana, informou nesta quinta-feira, 14/03, o secretário americano de Estado, Mike Pompeo…

0
24

SINAL

Os Estados Unidos retiraram todo o pessoal diplomático que permaneceu em sua embaixada em Caracas, em meio ao agravamento da crise venezuelana, informou nesta quinta-feira, 14/03, o secretário americano de Estado, Mike Pompeo.

“A decisão reflete o deterioramento da situação na Venezuela”, tuitou Pompeo.

“Além disso, a presença do pessoal diplomático americano na embaixada se tornou uma limitação para a política dos Estados Unidos” na Venezuela.

 

O anúncio de Pompeo ocorre poucas horas após o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocar para “a resistência ativa” todas as organizações populares chavistas, em meio ao apagão que paralisa o país.

Os coletivos são organizações comunitárias que segundo a oposição têm sido armadas pelo governo para atuar como milícias paramilitares.

Segundo Maduro, o apagão foi provocado por um ataque “cibernético e eletromagnético” dos Estados Unidos contra a principal hidroelétrica do país.

Maduro afirma que atrás desta “agressão” se esconde uma estratégia para “desesperar” a população e reativar o ingresso da “ajuda humanitária”, assim como justificar uma invasão americana.

Os anúncios ocorrem na véspera de mais um dia de protestos convocados pelo líder opositor Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países.

No dia 23 de janeiro, Maduro anunciou a ruptura das relações diplomáticas com os Estados Unidos, que reconheceram Guaidó como presidente interino, e ordenou a saída do país de todos os diplomatas americanos, o que Washington se negou a obedecer.

Em 24 de janeiro, o departamento de Estado ordenou o retorno de todos os seus funcionários “não essenciais” na Venezuela e dos familiares dos diplomatas. Também aconselhou os cidadãos americanos a abandonar o país.

########################################################

BABADÃO

Putin entre as deputadas Elise Stefanik (esquerda) e Val Demings (direita)

Foto – Getty Images

Val Demings e Elise Stefanik, respectivamente representantes dos partidos Democrata e Republicano, conseguiram aprovar na terça-feira, 12/03, um projeto de lei na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos que permitirá a elas e outros deputados americanos investigar um dos maiores mistérios da política internacional nas duas últimas décadas: seria o presidente da Rússia Vladimir Putin, que ascendeu ao poder definitivamente em 1999, o homem mais rico do mundo, como muita gente importante já afirmou de lá pra cá?

Batizada “Ato de Transparência Vladimir Putin”, a medida legal tem como principal objetivo descobrir se o atual mandatário do Kremlin tem ativos financeiros nos EUA que representem partes das cifras bilionárias já atribuídas a ele, e que caso confirmados seriam imediatamente confiscados.

Putin sempre disse que essas suspeitas eram coisa da cabeça de seus inimigos, e oficialmente o patrimônio declarado dele é inferior a US$ 1 milhão (R$ 3,82 milhões).

Há quem diga, no entanto, que o político tem bilhões escondidos em paraísos fiscais ao redor do mundo.

Bill Browder, um banqueiro que no passado fechou muitos grandes negócios em terras russas, chegou a afirmar em 2013 em uma entrevista que deu para o “The Washington Post” que a fortuna de Putin está na casa dos US$ 200 bilhões (R$ 763,2 bilhões), cerca de US$ 62 bilhões (R$ 236,6 bilhões) a mais do que tem Jeff Bezos, o atual número um entre os mais ricos do mundo.

########################################################

ECONOMIA

A propósito da Quarta Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA-4), o Conselho Internacional de Associações de Indústrias Químicas (ICCA –International Council of Chemical Associations) divulgou segunda-feira, 11/03, uma análise das contribuições da indústria química para a economia global no relatório “A Indústria Química Global: Catalisando o Crescimento e Enfrentando os Desafios de Sustentabilidade do Mundo” (The Global Chemical Industry: Catalyzing Growth and Addressing Our World’s Sustainability Challenges).

De acordo com o relatório, a indústria química atinge quase todo o setor de produção de bens, fazendo uma contribuição estimada de $ 5,7 trilhões para o Produto Interno Bruto (PIB) mundial, através de impactos diretos, indiretos e induzidos, o equivalente a 7% do PIB mundial e mantendo 120 milhões de empregos no mundo.

As principais conclusões do relatório incluem:

  • Diretamente, a indústria química adicionou $ 1,1 trilhão ao PIB mundial e empregou 15 milhões de pessoas, o que a torna o quinto maior setor de fabricação global.
  • Para cada US$ 1 gerado pela indústria química, outros US$ 4,20 são gerados em outras partes da economia global.
  • Empresas da indústria química fizeram pagamentos estimados em US$ 3 trilhões a suas fornecedoras em 2017, adquirindo bens e serviços usados na fabricação de seus produtos. Esse dispêndio na cadeia de suprimento representa uma contribuição estimada em US$ 2,6 trilhões para o PIB global e mantém 60 milhões de empregos.
  • A indústria química global fez investimentos estimados em US$ 51 bilhões em pesquisa e desenvolvimento (P&D), gerando 1,7 milhão de empregos e US$ 92 bilhões em atividades econômicas.
  • A maior contribuinte para o PIB e empregos na região da Ásia e do Pacífico é a indústria química, que gera 45% do valor econômico anual total da indústria e 69% de todos os empregos mantidos. A Europa fez a segunda contribuição mais importante (US$ 1,3 trilhão em contribuição para o PIB total, 19 milhões de empregos mantidos), seguida pela América o Norte (US$ 866 bilhões em contribuição para o PIB total e 6 milhões de empregos mantidos).

O ICCA encarregou a Oxford Economics de produzir uma avaliação detalhada das contribuições da indústria química para a economia global. O relatório visa examinar toda a extensão da pegada econômica da indústria química – de que forma a fabricação de produtos químicos suporta as atividades não só da própria indústria (impacto direto), mas também de uma ampla variedade de outros setores, através da cadeia de suprimento (impacto indireto apoiado por procurement de bens intermediários) e efeitos financiados por salários (impacto induzido pela folha de pagamento sustentado pelos gastos com bens de consumo dos trabalhadores empregados pela indústria e seus fornecedores).

Para saber mais e baixar uma cópia gratuita do relatório, visite www.icca-chem.org/EconomicAnalysis. Para saber mais sobre as contribuições do ICCA para os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, visite www.icca-chem.org/SDGs.

########################################################

ABANDONO

Se você pensa que apenas os cães e gatos sofrem com relação ao abandono, essa matéria vai te mostrar o contrário.

A maldade humana com os animais vai muito além disso, afeta até mesmo animais selvagens que ninguém acreditaria que poderia ser maltratado.

Este foi o caso de Yuki, um lobo que quase foi sacrificado. Felizmente, existem pessoas boas que tentam reparar a maldade humana e ajudam esses animais.

Os lobos são parentes dos cães, mas Yuki parece ser ainda mais próximo dos cachorros. Quando os cães ainda não eram domesticados, quando eles ainda não existiam, eram os lobos que ajudavam os humanos. Então a conexão entre humanos e lobos é mais antiga do que imaginamos. Mas a relação de Yuki com humanos não é tão positiva, ao menos não foi por muito tempo.

Yuki foi criado em cativeiro, para ser um animal de estimação. O problema é que o animal passou por uma vários donos e várias agressões e abusos. Até que Yuki acabou abandonado. O lobo foi resgatado por um abrigo, mas como eles não tinham suporte para cuidar do animal, entraram em contato com o Santuário Shy Wolf. Essa era a última oportunidade do lobo. Se ele não fosse aceito, seria sacrificado.

Felizmente, o santuário aceitou o animal, que tinha apenas 8 meses de vida e muitos traumas. Yuki, que de início apresentou um comportamento muito agressivo, precisou ficar isolado dos outros animais. Além disso, passou por cirurgias, foi medicado e teve sua saúde acompanhada de perto até que se recuperasse completamente.

Apesar de todos os maus bocados que Yuki enfrentou, no fundo, o lobo era muito amoroso e carinhoso. O animal adora brincar e ser o centro das atenções. Uma de suas brincadeiras favoritas é pegar as roupas dos voluntários para brincar. No entanto, o lobo faz isso com cuidado. Nunca rasga, nem fura nenhuma peça. Adora também encher todos de lambidas. Realmente parece um cão.

Aliás, foi assim que Yuki ficou conhecido na internet. Uma foto sua junto de uma das voluntárias, deixou todos espantados. Um animal daquele tamanho ao lado de uma humana, sem proteção alguma? Só poderia ser montagem. Mas não, era somente Yuki sendo ele mesmo.

Apesar de toda a serenidade do animal, as pessoas que cuidam dele são selecionadas a dedo. Como o animal teve um passado difícil e cheio de agressões, é possível que algumas vezes demonstre um comportamento mais agressivo. É por isso que os voluntários conhecem bem o animal e qualquer sinal de que Yuki não está de bom humor, é rapidamente resolvido. Hoje, o lobo vive no santuário onde é muito bem tratado, e tem inclusive uma namorada com quem se dá muito bem.